Friday, May 22, 2009

A ordem dos fingimentos













"A ordem dos fingimentos"
André Alves
para o projecto Colector
na
Casa Museu Abel Salazar



A ordem dos fingimentos
nasce da leitura de O Ensaio de Psicologia Filosófica (escrito por Abel Salazar por 1915). A ordem dos fingimentos consiste num desenho cuja representação (gráfica e caligráfica) descreve uma espécie de jogo de mesa que tenta materializar o contributo de Abel Salazar, face ao entendimento da consciência.
O “percurso” deste jogo de mesa descreve uma leitura sobre O Ensaio de Psicologia Filosófica, (especialmente a desconfiança ante um existencialismo sólido, fechado, íntegro da mentalidade). De acordo com Salazar, a ideia de voluntarismo é ilusória, e a mentalidade como estrutura ontologicamente relacional, facilmente será permeável a mal-entendidos que se enraízam como ilusões psicológicas.
Quanto à determinação constitutiva da consciência, Abel Salazar indica-a como um resultado da flexibilidade de abstracção da mentalidade, graças ao concurso de três factores: a existência de determinantes exógenos; a formação gradual de relações; e a propriedade de persistência dessas relações, sem a qual a mentalidade seria apenas uma rápida fulguração de momentos (sic).

O fingimento (dado o enquadramento da perspectiva de Salazar) constitui uma ilusão psicológica! Porque a continuidade da sensação do sujeito impede o voluntariar-se a ser fingido, não estando ele a criar forçosamente um estado de fingimento, mas a instaurá-lo – colocá-lo em práctica. Portanto, o sujeito não está a fingir, mas a ter a ilusão de que está a exercer um fingimento (quando na realidade está a exercê-lo). Paradoxalmente, e concretamente, o sujeito finge ter a consciência de fingimento!

Em A ordem dos fingimentos joga-se pelo escape das ilusões psicológicas e da zona negativa da consciência, pelo acesso à pirâmide da mentalidade, à possibilidade das imagens, das ideias, dos julgamentos e dos raciocínios, onde a consciência brota como meta gloriosa deste desafio.

Monday, May 18, 2009

Colector Project at Casa-Museu Abel Salazar / Projecto Colector na Casa-Museu Abel Salazar




Projecto Colector na Casa-Museu Abel Salazar

Inauguração 18 de Maio (Dia Internacional dos Museus)


Colector um projecto dirigido à promoção das Artes Visuais, que pretende aliar diferentes vertentes ou disciplinas emergentes das artes visuais aos espaços museológicos do país.

Partindo do espaço museológico, do seu acervo, colecção e história específica pretende-se potenciar uma interacção e confronto diferente com o próprio espólio do Museu. Dadas as condições para a experimentação, inovação e desenvolvimento de novas linguagens plásticas (fortemente centradas na relação passado/presente, arquivo/espolio do próprio museu) permitir-se-á a criação de um roteiro artístico que introduz o público numa interacção e confronto com diferentes tipos de expressões artísticas sobre a colecção.


Ana Efe + All Brain, André Alves, André Silva, Claúdia Lopes, Dalila Gonçalves, João Bonito, Paula Naughton.


De Segunda a Sexta
Das 9:30h às 12:30h I 14:30h às 18h


Casa-Museu Abel salazar

Rua Dr. Abel Salazar, s/n

4465-012 S. Mamede de Infesta

encerrado provisoriamente
sábados, domingos e feriados

Visitas guiadas (marcação para grupos)
Entrada gratuita

Transportes: STCP: 600 (Aliados / Barca ou Maia)

Tel. 22 903 98 26

Fax. 22 903 98 28

cmuseu@reit.up.pt

http://cmas.up.pt/

colectivo.colector@gmail.com
http://colectivo-colector.blogspot.com

____________________________________________________

Friday, May 15, 2009